domingo, 17 de fevereiro de 2013

TÉCNICAS E DINÂMICAS PARA EVANGELIZAÇÃO INFANTIL

TÉCNICAS E DINÂMICAS PARA EVANGELIZAÇÃO INFANTIL


EVANGELIZAR:
DESPERTAR JESUS
NOS CORAÇÕES








Técnicas



EVANGELIZAÇÃO INFANTIL:

Uma tarefa de amor




Técnicas


Apresentação

            A dedicação ao trabalho e o amor pelas crianças são itens básicos à tarefa de evangelizar. Aliado a isso, o evangelizador deve ter consciência da importância do seu trabalho, preparando as aulas com antecedência, harmonia e muito entusiasmo.
            Para tanto, além de participar do Grupo de Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita, é aconselhável ao evangelizador que, sempre que possível, leia livros ou artigos sobre educação infantil e o processo de desenvolvimento da criança, sob a ótica espírita e psicológica. O conhecimento da mente, do espírito e dos interesses infantis irão auxiliá-lo na organização das aulas, esclarecendo a realidade e o grau de evolução mental e espiritual dos evangelizados.
Esta apostila não possui intenção de fornecer conhecimento doutrinário ao evangelizador. Apenas visa ajudar na preparação das aulas, sugerindo técnicas e idéias, incentivando o trabalhador a buscar o aprimoramento, a fim de que boas sementes sejam plantadas nos corações infantis.


Aulas sobre Conduta Cristã


A mais importante mudança que o Espiritismo pode fazer em nossa vida é a transformação, para melhor, em nossa conduta, nossa maneira de pensar e agir. É a nossa reforma íntima, e para nós, adultos, que já temos valores cultivados ao longo dos anos, é necessária a alteração de hábitos. Porém, na infância, quando a criança está edificando valores no espírito reencarnado em corpo infantil, é o melhor momento para que ela assimile bons valores, com o propósito de tornar-se um adulto educado para a prática do bem.
A Evangelização Infantil pode ser dividida em dois itens: a instrução e a educação para o amor. A instrução inclui conhecimentos espíritas básicos, como Deus, Prece, entre outros assuntos que têm como base O Livro dos Espíritos; a educação para o amor visa solidificar no evangelizando uma conduta cristã, embasada em O Evangelho Segundo o Espiritismo, a partir de realidades vivenciadas pela criança em seu dia-a-dia.
Assim, vários aspectos da conduta infantil podem ser abordados, visando uma criança fraterna, caridosa e em harmonia consigo mesmo e com o próximo.

Sugestões para Aulas sobre Conduta Cristã

1 - Quem sou eu
 Cada indivíduo é especial, único; cada pessoa é diferente física e emocionalmente; Deus ama cada um como ele é; Deus empresta um corpo físico a cada espírito para aprender e evoluir durante a vida terrena; cuidados com o corpo físico.

Sugestões:
Demonstrar como cada pessoa é diferente. Levar balança, fita métrica, espelho. Pesar, medir as crianças, fazendo com que elas anotem em uma ficha: nome, peso, idade, cor dos olhos, dos cabelos, coisas que gosta de fazer. Quando todos concluírem, integrar os dados obtidos, valorizando as diferenças.
Desenhar o corpo físico em tamanho natural: em um papel pardo, as crianças, divididas em grupos contornam o corpo de um colega que deitou sobre o papel; depois desenham cabelos, olhos, mãos, pés, unhas, roupa.
Cuidados com o corpo: esconder objetos pela sala, pedir para que as crianças achem e expliquem para que serve cada um. Pode-se utilizar escova de dentes, pente, xampu, sabonete, roupa de ginástica, remédio, comida, água , etc.

2 - Família
Quem é a família; individualidade (diferenças) dos membros da família; a importância do grupo familiar; boas atitudes (respeito, ajuda mútua, carinho) para com nossos pais, irmãos, tios, avós, primos.

Sugestões:
Porta-retrato com o desenho da família. O desenho é feito em uma folha e colado em uma cartolina colorida de tamanho um pouco maior, para fazer as bordas. pedacinhos de EVA veja o modelo


A mesma técnica pode ser usada para a confecção de uma televisão, ou uma casinha, onde as portas se abrem e aparece a família (um barbante ligado ao desenho permite pendurar a televisão ou a casinha em qualquer lugar da casa).

                 
3 - Disciplina e colaboração no lar
Enumerar as tarefas domésticas; lavar, passar, cozinhar, limpar, arrumar; a importância de ajudar com disciplina e boa vontade; não existem tarefas femininas ou masculinas; qualquer atividade é importante e deve ser bem feita.

Sugestões:
Utilizar mímica para introduzir o assunto, representando tarefas domésticas.
Fazer pequenos móveis com sucata ou outros materiais: uma cama de caixa de fósforos, uma cadeira de palitos de picolé, etc.

Pedir que cada criança escreva uma tarefa que já realiza em casa e uma outra que se propõe a fazer durante a semana.
Adivinhe a palavra: escrever no quadro apenas a quantidade de letras e uma dica sobre a palavra.
 _ _ _ _ _ _    passar          (camisa)
_ _ _ _ _        lavar             (calça)
_ _ _ _           arrumar        (casa)
_ _ _ _ _ _    cozinhar        (feijão)

4 - Evangelho no Lar
Explicar o que é estudar o Evangelho no Lar; quais os benefícios e como realizar. Lembrar aos pais que eles podem incluir neste momento de estudo livros infantis (pequenas histórias) para que as crianças possam ler e entender a mensagem.

Sugestão:
Realizar o Evangelho no Lar em sala de aula. As crianças participam fazendo a prece inicial, lendo um texto previamente escolhido por elas, comentando o assunto, colaborando nas irradiações, fazendo a prece de encerramento. Ao final, todos bebem a água magnetizada durante o Evangelho.

5 - Amor às plantas e aos animais
Perguntar quem possui bichinho de estimação? Como cuidam dele? Utilidade dos animais e das plantas; como cuidar das plantas; importância de se preservar a natureza.

Sugestões:
Introduzir o assunto levando plantas e um animal de pequeno porte para a sala de aula: um passarinho, um peixe, um gato, um papagaio, etc.
Trabalho com colagens de figuras e frases sobre a natureza em um painel;
Confecção de animais em origami;
Plantar uma flor, explicando e incentivando os cuidados com a planta.

6 - Amor e caridade para com o próximo
Quem é o nosso próximo? Como amar o próximo? Manifestação da caridade em gestos simples: um sorriso, uma gentileza, ajudar um amigo, não ser egoísta. Colocar amor nas coisas que fazemos.

Sugestões:
Colocar em uma caixa vários objetos: boneca, colher, óculos, urso de pelúcia, foto de uma família, caderno, uma planta, etc. Cada aluno tira um objeto e fala sobre caridade e amor, relacionando o tema ao objeto.
Boneca: irmão menor, os colegas;
Caderno:como ser caridoso em sala de aula;
Planta: amor à natureza;
Desenhar em uma folha de papel, em tamanho pequeno, alguém com quem devemos ser caridosos. Dobrar ao meio o desenho, e depois várias vezes o papel, como uma sanfona; recortar contornando o desenho. Ao desdobrar, surgem várias pessoas de mãos dadas. Pintar as várias pessoas com quem devemos manifestar amor e caridade.


7 - Perdão
Perdoar ao próximo e a si mesmo; toda pessoa faz coisas certas e erradas. Deus dá a cada um novas chances de acertar e nós também devemos perdoar aos que nos ofendem. É preciso aprender com os erros e se esforçar para acertar. Perdoar é entender o erro e esquecer.

Sugestões:
Confeccionar ROSTINHOS  usando prato de papel, lã, botões, simbolizando as pessoas a quem devemos perdoar.


Para crianças do terceiro ciclo pode-se fazer uma técnica de análise de atitudes: as crianças pensam em algo de errado que fizeram, entendem por que erraram, e se propõem a não realizar de novo o mesmo erro. Com uma música de fundo, os adolescentes fecham os olhos e relaxam, inspirando e expirando. Terminar com a análise de algo positivo, lembrando de algo bom e correto que realizaram.

8 - Conduta na escola
Com é ser um bom aluno? Atitudes que se deve ter na escola: chegar no horário, levar o material escolar, prestar atenção nas aulas, não colar nas provas, não colocar apelidos, devolver o que pegar emprestado, fazer os temas, colaborar nos trabalhos em grupo. Por que estudamos? Estudamos para aprender, para evoluir, para ter uma profissão.

Sugestões:
Entrevista com o colega. Utilizar itens como: escola que estuda, série, nome dos professores e de alguns colegas, matéria que mais gosta, o que faz no recreio, que profissão quer ter quando crescer.
Fazer a escola em dobradura


9 - Palavrinhas mágicas
Por favor, com licença, desculpe, obrigado (meninos dizem obrigado e meninas dizem obrigada); situações em que devem ser usadas as palavras mágicas. Elas demonstram boa educação e respeito.

Sugestões:
Desenhar uma situação em que as palavrinhas mágicas devem ser usadas (ou uma história em quadrinhos).


O evangelizador conta uma história e combina que cada vez que ele disser uma das palavrinhas, durante a narrativa, as crianças devem tomar uma atitude, como por exemplo: ao dizer obrigado as crianças devem sentar no chão; ao pronunciar com licença devem fechar os olhos; ao falar por favor devem cruzar os braços; ao dizer desculpe devem levantar-se.
“Joãozinho era um menino muito educado. Ele sempre dizia: por favor, com licença, desculpe. Às vezes ele esquecia de dizer obrigado, mas sua mãe lhe lembrava: Por favor, Joãozinho, você esqueceu de dizer obrigado...Um dia Joãozinho bateu na porta do quarto de sua tia e disse: Com licença tia, eu queria ...”

10 - Honestidade
Não mentir, não roubar, ser sincero. Importância da honestidade.

Sugestão:
Contar uma história em que as crianças tenham que decidir qual é a decisão (honesta) a ser tomada.
Ex: 1 - João estava andando na rua, quando perdeu sua carteira.  Maria ia passando e encontrou a carteira ...
2 - Gustavo estava jogando bola, quando quebrou o vidro da janela da casa do vizinho. Seu vizinho não viu quem quebrou o vidro...

11 - Atitudes positivas no lar, na escola e na rua
            Importância das boas atitudes em todos os lugares, mesmo quando estamos sós e sem alguém olhando; evolução espiritual (crescimento interior).

Sugestão:
Distribuir frases com atitudes positivas, orientando os alunos para que eles encenem, em duplas, com fantoches, as situações.
Exemplos de atitudes:
- obedecer aos pais
- agradecer as coisas que possui
- ajudar nas tarefas domésticas
- não jogar lixo na rua
- respeitar os colegas

12 - Alimentação saudável
Deus nos deu a natureza a fim de que retiremos dela nosso alimento; tudo o que comemos e bebemos possui sua origem na natureza, o homem apenas transforma os materiais.

Sugestões:
Colocar em uma caixa diversos tipos de alimentos: pão, bolacha, leite, suco, água, frutas, legumes, açúcar, sal, cereais. Cada aluno pega algo na caixa, diz a característica do alimento (se é doce, salgado, ácido, azedo) e qual a origem do alimento. Ao final pode ser servido um pedaço de pão ou  bolo para todos.
Após a atividade anterior, de identificação dos alimentos, falar das vitaminas dos alimentos e a importância de se comer o que é bom para a saúde. Convidá-los a preparar um lanche. Fazer com que eles repartam de maneira igual os alimentos, aproveitando para salientar a solidariedade, o fato de todos participarem na tarefa e a satisfação de se obter o resultado. Pode-se fazer uma batida de leite com banana ou uma salada de frutas.

13 - Amizade
O que é ser amigo? A importância dos amigos; atitudes de um amigo.

Sugestões:
Jogo do ceguinho: aos pares; um aluno veda os olhos com um tecido(é o ceguinho) e o outro é o guia que irá conduzir o ceguinho pela sala. O evangelizador conta uma história em que um cego tem de atravessar a cidade para chegar até um lugar, alternando situações calmas como, por exemplo, ouvir uma música, caminhar, atravessar a rua, com situações agitadas como fugir de um cachorro, alcançar o ônibus etc, descrevendo o que aconteceu com o ceguinho durante o deslocamento até o seu destino. Desenvolve a responsabilidade de quem está guiando e a confiança de quem está sendo guiado.  Em uma segunda etapa, inverter os papéis (quem era o cego será o guia e vice-versa).  O objetivo da atividade é salientar que os amigos confiam e se ajudam mutuamente; pode-se também abordar a importância do espírito protetor, que é nosso amigo. E Jesus, nosso amigo para todas as horas.
Cada criança pinta no rosto, braço ou perna do colega, um desenho com canetinha colorida ou tinta guache.

14 - Respeito ao próximo
            Fazer aos outros o que queremos que nos façam; as pessoas são diferentes e devemos respeitar cada um como ela é; todos possuem defeitos e qualidades; valorizar as qualidades de cada indivíduo.

Sugestões:
Desenhar a si mesmo, sem mostrar aos colegas; misturam-se os desenhos e todas as crianças escrevem uma qualidade para cada pessoa desenhada. Depois devem adivinhar quem é quem, nos desenhos.
Crianças maiores podem fazer uma atividade (um labirinto, um caça palavras, um desenho para pintar, um quebra-cabeça) para que o outro colega resolva.
Para evangelizandos do 3º ciclo: cada criança descreve seu colega, sem revelar o nome, enfatizando somente suas qualidades. O evangelizador deverá recolher sem mostrar para a turma, misturar bem e posteriormente redistribuir para que as crianças façam a leitura, em voz alta, dos textos, adivinhando quem é a pessoa descrita. Esse exercício faz com que nos atentemos para as coisas boas que encontramos em nosso próximo, pois a tendência é somente vermos os defeitos dos outros.
Mostrar uma cartolina branca com um ponto preto no meio e pedir para que as crianças observem a cartolina e digam o que vêem. A maioria verá o ponto preto que é diferente e pequeno, no meio da cartolina. Explicar que aquele é apenas um pontinho diferente na cartolina, que é muito maior em sua brancura; que assim também procedemos em nossas vidas, preocupando-nos com os defeitos e deixando de lado as qualidades de nossos amigos.

15 – Gratidão a Deus
Agradecer o dia, a família, os amigos, a saúde, a morada, a escola, o alimento, o corpo, a vida, etc.

Sugestão:
Explicar o significado das frases da oração do Pai Nosso (Oração Dominical); distribuir a oração , com desenhos para pintar.


16 - Música
Utilidade do som; tipos de música: calma, agitada, com letra, sem letra; o que cada música pode transmitir; influência da música em um ambiente.

Sugestões:
Ouvir letras de diferentes tipos de músicas, para entender as emoções e energias que elas transmitem.
Com sucatas, confeccionar um instrumento musical e ensaiar uma música.
Ex: lata de refrigerante com arroz ou feijão dentro; em um arame, colocar tampas de garrafas.

17 - Ser criança é ótimo
A infância é um período durante o qual descobrimos e aprendemos muitas coisas; responsabilidades de cada etapa da vida; salientar as coisas boas de cada idade.

 Sugestões:
Desenhar de olhos fechados por um minuto; abrir os olhos, terminar o desenho (de forma que fique uma figura) e pintar.
Recortar figuras de revistas que representem as várias fases da vida: bebê, criança, adolescente, jovem, adulto, idoso, colocando abaixo as coisas boas de cada idade, bem como as responsabilidades que já é possível ter em cada período.
Presentear o colega com um desenho sobre a infância, trocando idéias e frases sobre essa fase da vida.

18 - Trabalho e profissões
Importância do trabalho para a evolução e o sustento das pessoas; valorização de todas as profissões (E se não existisse lixeiro, padeiro, médico, professor?); os pais têm horários e responsabilidades no trabalho, devemos cooperar não incomodando, nem reclamando quando eles saem para trabalhar; o trabalho de cada criança é estudar e ajudar nas tarefas domésticas; importância do repouso e do lazer.

Sugestões:
Incentivar as crianças a pensarem que profissão desejam exercer quando crescerem e o motivo da escolha.
Desenhar-se adulto, atuando na profissão que deseja ter.
Fazer bonecos de palitos de picolés representando a profissão que desejam no futuro.



3 comentários:

  1. Estou feliz porque encontrei em seu blog, atividades muito interessante,Obrigada! Abraço

    ResponderExcluir